O tuning de carros representa uma parcela significativa do mercado automotivo. Mas, você sabe quais são as regras para fazer essa customização no carro? Confira!

O cotidiano de uma oficina costuma ser cheio de demandas. Uma delas é o tuning de carros. Mas, você sabe quais são os limites dessa customização? Há regras para realiza-lo? Há como atender todas as alterações solicitadas pelos clientes? Vamos responder todas essas perguntas neste post!

Quais são as regras?

Vamos abordar os tipos mais comuns de customização e suas respectivas condições. Todas as regulamentações têm um caráter preventivo, agindo de modo a evitar acidentes causados por alterações clandestinas. Como o aumento abusivo da potência do motor, instalação de rodas e pneus superdimensionados e redução da altura do veículo.

Rodas

As rodas são os principais componentes de customização no setor automotivo brasileiro. Mas, apesar de ter cunho estético, ela também possui algumas regras.

A determinação impõe que as rodas não podem ultrapassar os limites externos do para-lamas. Normalmente, essa solicitação é feita por entusiastas de corridas, mas não é muito recorrente no Brasil.

Faróis

Os faróis fazem parte da customização estética, pois, a instalação de lâmpadas LED ou xênon garantem um visual mais sofisticado. O problema só acontece quando estes automóveis começam a prejudicar a visibilidade de outros motoristas na estrada, causando acidentes.

Por tal motivo, em 2017 foi instaurada a regulamentação onde antes de instalar essas lâmpadas, é necessário solicitar uma autorização para o DETRAN.

Isso porque, quando o veículo vêm com as lâmpadas direto da fábrica, já vem também, projetado com um conjunto ótico adequado a emissão de maior luminosidade, sem prejudicar a visibilidade de terceiros.

Aqueles que não respeitaram a autorização do DETRAN, estarão sujeitos a uma multa de R$ 127,00.

Suspensão

Por um período, a legislação foi incerta quanto as suspensões. No entanto, atualmente a lei determina que em veículos com até 3.500 kg é permitida a alteração do sistema de suspensão. O importante é respeitar os 10 cm de distância mínima entre o solo e a parte mais baixa do automóvel.

Pintura

A pintura é uma alteração exclusivamente estética, sendo bastante popular. A regulamentação quanto a cor dos veículos é categórica: a cor deve coincidir com o registro na documentação.

Portanto, nos documentos daqueles veículos que sofreram algumas alterações na pintura deve conter o termo “Fantasia”, seguido pela cor principal.

Pneus

Ampliar ou reduzir o diâmetro externo dos pneus e rodas é proibido! Além disso, é necessário seguir a proporção original, conforme a substituição por rodas maiores, acompanhadas de pneus adequados.

A Mecânica

Aqui, a alteração vai além da estética e passa a interferir diretamente na performance do veículo. Por isso, as alterações mecânicas são as que mais sofrem restrições.

É permitido, por lei, ampliar no máximo 10% a potência de um veículo, com base na potência registrada em ficha técnica, no manual do carro.

Essa delimitação surgiu depois que motoristas passaram a alternar somente o motor, ignorando os demais componentes como freios, pneus e outros.

Vidros

Vidros escuros são sinônimo de segurança. No entanto, em prol da visibilidade, existem regras para a aplicação dessas películas. Veja quais são elas:

  • Para-brisa dianteiro: limite de 25% de escurecimento e 75% da passagem de luz
  • Vidros laterais frontais: limite de 30% de escurecimento e 70% de passagem de luz
  • Vidros traseiros e laterais traseiros: limite de 72% de escurecimento e 28% de passagem de luz

 

 

13,695 Responses